História e Língua

Destino ideal para os amantes do indómito

Ilhas de beleza selvagem, quase primitiva, São Tomé e Príncipe descobertas em 1470, têm tudo o que atrai os amantes da natureza, das paisagens exóticas, do mar e da praia. O clima ameno, a hospitalidade do povo e o ambiente pacífico e seguro conjugam-se para garantir uma estadia inesquecível a todos os que visitam as Ilhas. A Mãe Natureza foi generosa quando se abalançou à tarefa de criar este oásis verde em pleno oceano Atlântico.

As ilhas maravilhosas no meio do atlântico têm o português como língua oficial e nacional. São também faladas variedades reestruturadas desenvolvidas localmente de português ou crioulos portugueses como o forro, o angolar e o lunguié. Também é falado o crioulo de Cabo Verde, as línguas angolanas por causa dos descendentes que vieram cá trabalhar na época colonial.  Actualmente o francês e o inglês são também amplamente falados no país.

História

O descobrimento

A ilha de São Tomé foi descoberta em 21 de Dezembro de 1470, por João de Santarém, no dia de São Tomé; 27 dias depois, em 17 de Janeiro de 1471, no dia de Santo Antão, Pêro Escobar chega à ilha do Príncipe. Príncipe foi inicialmente chamado de Santo Antão ("Santo António"), mudando o seu nome em 1502 para a Ilha do Príncipe, em referência ao Príncipe de Portugal para quem foram pagos impostos sobre a produção de açúcar da ilha.

1470

Descoberta de São Tome

A ilha de São Tomé foi descoberta em 21 de dezembro de 1470, por João de Santarém, no dia de São Tomé

1471

Descoberta da Ilha do Príncipe

No dia de Santo Antão, Pêro Escobar chega à ilha do Príncipe

1493

Ilha do Príncipe

Álvaro de Caminha recebe a terra como uma concessão da coroa.

1502

Ilha do Príncipe

Ilha de Santo Antão mudando o seu nome em 1502 para a Ilha do Príncipe, em referência ao Príncipe de Portugal.

1960

Oposição

Surge um grupo nacionalista opositor ao domínio português.

1975

Independência

Após cerca de 500 anos de controlo de Portugal, o arquipélago é descolonizado.

A Colonização Portuguesa

A colonização começou no final do século XV, liderada por Álvaro de Caminha que introduziu engenhos de açúcar. O povoamento das ilhas teve o seu início cerca de catorze anos depois dos descobrimentos. Tenreiro afirma que foram, sem dúvidas, a situação privilegiada de São Tomé no Atlântico em relação às restantes ilhas, o facto de ser despovoada e as características do seu relevo, no Atlântico e a beira do hemisfério sul, que explicam a atracção que São Tomé exerceu sobre os Portugueses que a transformaram num ponto de encruzilhada de realidades culturais provenientes primeiro, de Portugal e da Costa africana e da Índia e do Brasil
Em 12 de Julho de 1975, São Tomé e Príncipe alcançou a sua independência.

A Independência

Após a independência alcançada em 12 de Julho de 1975, foi implantado um regime socialista de partido único e as plantações são nacionalizadas sob a alçada do MLSTP. Dez anos após a independência (1985), inicia-se a abertura económica do país. Em 1990, adopta-se uma nova constituição, que institui o pluripartidarismo.
Actualmente existem vários partidos políticos na República Democrática de São Tomé e Príncipe.

Língua

Língua

As ilhas maravilhosas no meio do atlântico têm o português como língua oficial e nacional. São também faladas variedades reestruturadas desenvolvidas localmente de português ou crioulos portugueses como o forro, o angolar e o lunguié. Também é falado o crioulo de Cabo Verde, as línguas angolanas por causa dos descendentes que vieram cá trabalhar na época colonial. Actualmente o francês e o inglês são também amplamente falados no país.

Geografia e Clima

Gastronomia