Cidade São Tomé

Itinerários

Cidade São Tomé

Comecem o dia com uma visita à Praça da Independência (em 12 de Julho de 1975 São Tomé e Príncipe tornou-se independente, após a assinatura de um documento, em Argel, entre o governo português com o MLSTP, a 26 de Novembro de 1974. No dia 12 de Julho de 1975 a presença portuguesa na Praça na Independência foi presidida por Rosa Coutinho). Façam uma paragem no Palácio Presidencial (é a residência oficial do presidente da república de São Tomé e Príncipe, localizado na capital, São Tomé. Também conhecido como (Palácio do povo) é a residência oficial do Presidente da República de São Tomé e Príncipe e localizada na capital, São Tomé. A estrutura foi construída em meados do século XIX como um centro administrativo para o governador da colónia, renovada em 1954, e tornou-se a residência do Presidente do país no momento da independência de São Tomé e Príncipe em 1975) e a Sé Catedral.

Passem pelo Posto de Informação Turística (para recolher algumas informações, comprar mapas e levar algumas brochuras). No mesmo edifício primeiro andar Funciona a Direcção Geral de Turismo e Hotelaria. Ao lado está o Edifício dos Correios.

Depois dos correios vire a direita no meio da Rotunda está a Estátua do Rei Amador (foi escravo do militar português, tenente Vieira. A sua figura tornou-se mito entre os concidadãos, um símbolo de libertação do domínio colonial. Ele se auto proclamou "Capitão General da Guerra" e "Rei" da revolta que começa a 9 de Julho de 1595, com o assalto que faz durante a missa na igreja da Trindade). De um lado está Biblioteca Nacional (tem por missão pôr à disposição dos seus utentes a memória intelectual, cultural, científica, servindo de motor de difusão de tudo que constitui o seu acervo, assim como a sua preservação para a posteridade, funcionando sob tutela directa do Ministro responsável pela área da Cultura) do outro está o Arquivo Histórico (criada em 7 de Junho de 1969, através do Decreto nº 49047, o arquivo Histórico Nacional tem como objectivo visar, resgatar, preservar e divulgar todo a memória colectiva do povo são-tomense). Parque Popular ( onde acontecem os grandes festivais ao nível nacional, tem um campo de voleibol e a vota tem vários bares e restaurantes).

A visita ao Espaço CACAU é obrigatória. Funcionando de segunda-feira á sábado, das 08h00 às 20h00, o espaço tem exposições temporárias, lojas de artesanato e actividades culturais a decorrer todos os meses. O local funciona também como bar/café/restaurante e tem também as chamadas “quintas culturais” (jantar/buffet self-service com música e dança ao vivo).

Depois, podem fazer uma visita à Herança Portuguesa através de um passeio costeiro para sul da Baía Ana Chaves até ao Forte de São Sebastião (erguido a 1575 por forças portuguesas, o Forte de São Sebastião foi o primeiro edifício com carácter defensivo erguido em São Tomé, sendo posteriormente reconstruído e ampliado). Em 1866 passou a abrigar um farol, reconstruído em 1928 e restaurado em 1994. Sofreu intervenção de restauro em fins da década de 1950 com projeto assinado pelo arquitecto Luís Benavente, tendo sido escolhido pelo governo português, em 1960, para sede do Comando de Defesa Marítima da Província. Em nossos dias encontra-se em bom estado de conservação, requalificado e sediando o Museu Nacional de São Tomé e Príncipe. Além do próprio forte colonial, o visitante poderá apreciar aspectos da história e da cultura do país (por exemplo, através de antigas fotografias das famílias), nomeadamente da escravidão e da vida quotidiana nas plantações de cacau e de café, base económica do arquipélago. Possui duas faces voltadas para o mar, outra para a chamada "praia da PM" e a última, pelo lado de terra, onde se rasga o Portão de Armas. Diante do forte encontram-se as estátuas dos navegadores João de Santarém, Pêro Escobar e João de Paiva, cujos nomes se ligam ao descobrimento do arquipélago. Estas estátuas foram retiradas das praças e jardins de S. Tomé logo após a independência.

Continuando ao sul da baía Ana Chaves está o Liceu Nacional (É uma das mais antigas instituições pública de ensino secundário e uma das mais conceituadas de São Tomé e Príncipe). Em seguida está o Ministérios dos Negócios Estrangeiro, Embaixada de Portugal, hotel Miramar/Pestana, Estádio Nacional (onde aconteceu os Jogos da CPLP, acontecem os torneiros de futebol, treinos diário e também é lá onde acontecem os maiores festival nomeadamente quando vêm muitos cantores internacional).

Palácio dos Congressos (Construído nos finais da década de 80, através da cooperação com a República Popular da China e inaugurado em 1988, era originariamente, destinada a realização de espectáculos e congressos. Na década de noventa, concretamente no início dos anos 95, passa a funcionar como a sede do Parlamento São-tomense “Assembleia Nacional”. Inicialmente, a Assembleia Nacional, funcionava no edifício onde hoje funciona, actualmente a sede do Governo). Ás 16h30 visitem a Fábrica de Chocolate Cláudio Corallo (localizada na cidade de São Tomé, a fábrica pertence ao italiano Cláudio Corallo. O cacau usado no chocolate é plantado na Roça do Terreiro Velho, no Príncipe. Na fábrica, os visitantes podem acompanhar o ciclo do cacau até ao chocolate, provar as favas de cacau e fazer uma degustação de vários chocolates, entre os quais os de cacau a 100%, 80% ou a 75% e também do fantástico chocolate com pimenta de São Tomé e sal de Castro Marim. No final, há uma loja para quem quiser levar para casa. A entrada, com degustação, custa 4€. 00239 222 2236, Av. 12 de Julho nº 978, visitas às 2as, 4as e 6as, sempre às 16h30.
Ainda na cidade delicie-se do nosso café e chocolate na Loja/ Café Diogo Vaz e as demais lojas de artesanato e produtos transformados existentes na ilha.